História política da família Melo

A história política da família Melo se inicia com a criação, em Rio Branco, do PTB de Getúlio Vargas. Por perseguição do PSD de Guiomard Santos, o general Oscar Passos funda o PTB acreano na casa de Raimundo Melo, em 1949, ano de nascimento de Flaviano. Desde criança, portanto, Flaviano conviveu num ambiente eminentemente político guiado pelas mãos do pai, uma das lideranças estaduais do partido. Com o advento do Regime Militar de 64, o PTB passa a oposição ao novo Governo. Não tardou para que em 65 a "linha dura" do Governo Militar extingui-se os partidos existentes e estabelecesse o bipartidarismo com a criação da Arena (Aliança Renovadora Nacional) e MDB (Movimento Democrático Brasileiro).

A Arena foi constituída majoritariamente por partidários do PSD. Lavrado em 66, o MDB foi formado basicamente por militantes do PTB e dissidentes que não aderiram ao Regime Militar. Frente de resistência à ditadura implantada, o partido teve como seu primeiro presidente nacional o próprio Oscar Passos. No Acre, Flaviano acompanha o trabalho de seu pai no MDB , dá seus primeiros passos na vida política para depois estudar no Rio de Janeiro. A extinção do MDB se deu em dezembro de 1979, quando o bipartidarismo chegou ao fim. Em seu lugar nasce, em 1980, o PMDB (Partido do Movimento Democrático Brasileiro) liderado por Ulisses Guimarães.

Desde sua fundação, o PMDB reuniu várias frentes como seu antecessor, o MDB. Em especial, após a incorporação do PP (Partido Popular), em 1982, o que resultou na vinda de Tancredo Neves. Neste mesmo ano, Flaviano retorna ao Acre para ajudar na campanha vitoriosa de seu irmão, José Melo, à Câmara dos Deputados. Em 83, é indicado pelo então governador Nabor Júnior, à prefeitura de Rio Branco, quando passa portanto a atuar na linha de frente do PMDB.

1983

Prefeito de Rio Branco - Acre

Empreendedor e democrata convicto, implementou uma gestão inovadora em parceria com a comunidade. Inovou ao implantar o Orçamento Participativo, onde a população indicava suas prioridades. Com medidas simples , mas de impacto, conseguiu dar uma cara nova a Rio Branco. Foi também neste período que Flaviano estimulou os prefeitos a criarem a Associação dos Prefeitos do Acre (APA) – atual Associação dos Municípios do Acre (AMAC)- um marco definitivo no apoio e suporte das prefeituras junto aos órgãos federais

1986

Governador do Estado do Acre

A popularidade da administração resultou numa candidatura a Governo do Estado em 1986. Vitorioso nas eleições, emplacou um governo de obras em todo o Estado. Agricultura, saneamento e habitação foram as grandes bandeiras de sua administração. O resultado foi a maior produção agrícola que o Acre já teve e novos bairros e conjuntos habitacionais que deixaram marcas na população.

1990

Senado Federal

O Senado Federal em 1990 foi o passo seguinte. Atuante e articulado, cuidou de viabilizar recursos federais para o Estado, além de garantir o acesso das prefeituras acreanas a programas e projetos federais. Ciente das dificuldades enfrentadas pelas prefeituras menores, implantou em seu gabinete uma verdadeira central de apoio a estas administrações.

2001

Novamente Prefeito de Rio Branco

Em 2001, o lado executivo falou mais alto e Flaviano Melo voltou à Prefeitura de Rio Branco, pelo voto direto. Uma prova cabal da aprovação popular de seu estilo democrático e participativo de administrar. Em 2007, foi a vez de ingressar na Câmara dos Deputados onde permanece até hoje. Ao longo de três mandatos, retomou a bandeira do Acre, na busca de recursos e no debate dos assuntos de interesse nacional e da população acreana.

2007

Câmara dos Deputados

Num grande esforço de articulação, conseguiu a aprovação do Projeto de Decreto Legislativo de sua autoria (o primeiro a ser aprovado no Congresso Nacional) que garantiu a realização de um referendo para a população se manifestar acerca da mudança de fuso horário imposta em junho de 2008. Foi uma grande vitória, depois de um ano travando uma verdadeira batalha com os deputados e senadores da Frente Popular, contrários ao Projeto.

Consultada, a população, por maioria, disse NÃO à mudança. Começou, então, uma nova batalha para a implementação da consulta popular. Abertamente, parlamentares da Frente Popular trabalhavam contra o projeto. Felizmente, venceu o bom senso e o desejo da maioria. E o horário tradicional do Acre foi restaurado.

Outro esforço coroado de sucesso foi a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 46/2007, de sua autoria. A matéria, que estabelecia que dotações orçamentárias resultantes de emendas individuais não poderiam ser objeto de contingenciamento, foi anexada à PEC 565 (do Orçamento Impositivo) e aprovada pelo Congresso Nacional. Para Flaviano, foi o resgate do respeito

São apenas exemplos de ações resultantes de esforço e muita determinação. Um trabalho que deu alegria a Flaviano por honrar os votos que recebeu da população.

O engenheiro empreendedor e o político democrático fazem de Flaviano Melo um homem cujas ações resultaram em benefícios voltados, sobretudo, aos mais carentes. É o político cuja experiência e tenacidade abrem portas em Brasília e facilita os pleitos de seu Estado.

_DSC4396 _DSC4396 _DSC4396 _DSC4396 _DSC4396 _DSC4396 _DSC4396 _DSC4396 _DSC4396 _DSC4396 _DSC4396 _DSC4396 _DSC4396 _DSC4396 _DSC4396